FIQUE LIGADO

© 2008 Oenach na Tailtiu criado com Wix.com

  • Facebook Clean

REALIZAÇÃO

Clã Oenach na Tailtiu

Fáilte a Chairde!

Sejam Bem Vindos, Amigos!

 

A LENDA ESTÁ VIVA

21 e 22 SET 2019

 

Venha reviver os antigos tempos em que diversos clãs se encontravam nas "oenach". Festeje conosco em uma feira de Lughnasadh como faziam os celtas que povoaram a Irlanda na antiguidade:

participando de danças, jogos fúnebres, canções, desfrutando de muita música e comida e muito mais. 

Venha reconstruir conosco essa antiga tradição e ajude-nos a perpetuar um costume que remonta a tempos ancestrais!!! 

ÚLTIMAS NOTICIAS

TENDAS CELTAS ESGOTADAS

01-09-2019

A edição de 2019 permitirá que algumas pessoas tenham uma imersão completa com uma pernoite em uma tenda recriacionista!!! TODAS AS TENDAS ESGOTARAM!

Corre que ainda temos ingressos, basta trazer sua própria barraca de camping:

https://www.oenachnatailtiu.com/formulario-ingresso 

Thomaz Brasil: artesão confirmado

31-05-2019

Descendente das Tribos Escandinavas, cruzador de mares, habitante das terras de Pedro, mais uma vez, desce a montanha com a sua produção para adorno de lares e palácios em várias nações.

1 / 2

Please reload

13. Tailtiu dos brancos flancos proferiu em sua terra uma verdadeira profecia, que enquanto todo príncipe a aceitasse, Erin não ficaria sem perfeita canção. 

 

14. Uma feira com ouro, com prata, com jogos, 
com a música das carruagens, 
em que se adornariam o corpo e a alma 
através de sabedoria e eloqüência.

15. Uma feira sem ferir ou roubar qualquer homem, sem confusões, sem

“11. Ela lhes disse em meio à sua doença (fraca ela estava, mas não sem palavras) 
que eles deveriam organizar jogos fúnebres em seu lamento 
- zelosa havia sido sua façanha.

12. Ao início do mês de agosto ela morreu, em uma segunda-feira, no Lughnasadh de Lugh; 
ao redor de sua sepultura, daquela segunda-feira em diante, é realizada a Feira Maior da nobre 
Erin. 

discussões, sem saques, sem disputas de propriedade, sem acusações, sem julgamentos, 

sem invasões,

sem prisões.”

Dindshenchas, p. 151